Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos,
porque a história de nossos políticos
pode causar deficiência moral irreversível.

É a vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida pública.


sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

O mofo está no fundo

***
Em Belém, O FMS (Fundo Social Mundial) poderia manter a sigla, mas mudar o nome. Deveria se chamar Fundo Socialista Mofado.
***
As manifestações dos participantes nos davam a impressão de estar assistindo a um filme dos anos 60, em preto e branco, pelo uso daquelas palavras de ordem de antanho. Frases como "Abaixo o imperialismo", "Não ao capitalismo", "Viva Chê" eram repetidas com direito a bandeiras tremulantes mostrando a imagem de Guevara. Foi uma verdadeira reunião de esclerosados que não viram o tempo passar.
***
Na foto acima estão os esdrúxulos presidentes de países sul americanos como Hugo Chaves (um alucinado que acredita no medo de Obama por ele), o índio Evo Morales; Rafael Correa, Fernando Lugo e Luís Inácio (persona non grata, que sequer foi convidado pelos movimentos esquerdistas ). Aliás Luís Inácio vai acabar no limbo, pois é simpatizante tanto da direito quanto da esquerda, dependendo da ocasião.
***
O Fundo Social Mundial está com cheiro de mofo.
***

3 comentários:

  1. A crise, que começou financeira, transformou-se em econômica e, na ausência de governo, já está se transformando em crise social. A crise social é reflexo, à primeira vista, do maciço desemprego e na conseqüente queda de consumo e na inadimplência que acarretam menor produção e mais desemprego.

    Insensível, o governo já projeta a mesma arrecadação de impostos verificada no ano passado, haja vista o impostômetro apresentar valor de 100 bilhões no mês de janeiro, o que projeta arrecadação de 1,1 trilhão de reais no ano. Um fio muito tênue, ao mesmo tempo em que separa, une a crise social à violência, principalmente nos grandes centros urbanos.

    Os empregados, mais prudentes que o governo sindicalista, já abrem mão de salários integrais com a correspondente redução de jornada de trabalho, a fim de manter seus empregos. Mas, o governo perdulário, até agora não acenou com a redução de impostos e de gastos, como se vivesse num universo paralelo, imune aos problemas dos mortais que os sustentam.

    Em breve teremos convulsão social e, sem forças armadas, uma possível guerra civil, de conseqüências castatróficas.

    "LIBERTAS QUAE SERA TAMEN"

    ResponderExcluir
  2. Ola.
    Lula não tem culpa de nada(é pobre de massa cinzenta).
    A culpa é da indolencia nacional,mas principalmente da elite petista,que sabe comandar um robot destituido de massa cerebral.


    YUR

    ResponderExcluir

Opinião dos leitores