Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos,
porque a história de nossos políticos
pode causar deficiência moral irreversível.

É a vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida pública.


quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Segundo Capítulo: ESBANJADOR

Agora sô turista. Nunca ninguém no mundo passeô tanto quanto eu. Já tenho meu aviãozinho, como, bebo e me lambuzo.
Dô esporro em gente que estudô e humilho o ministro que quizé. Brinco de governante, finjo que sô pobre e gasto sem me preocupá. Não sei escrevê, mas sei falá e tapeá.
Meu negócio é viajar, me divertir e GASTAR.
Como é bom sê prezidente!

Conceder o cargo de Presidente da República ao Luís Inácio foi o mesmo que entregar a chave de uma loja de brinquedos a um menino pobre que nunca teve sequer um carrinho.... de mão. É mera comparação, pois o nosso 'dirigente' da nação conheceu pobreza apenas quando criancinha. Logo cedo se tornou sindicalista e parou de trabalhar. Muito antes de ser presidente Luís Inácio já aproveitava um padrão de vida bem superior à realidade nacional. Este é mais um dos contrastes na disforme personalidade de Luís Inácio, que se mostra humilde e preocupado com o dinheiro público quando está diante do povo, enquanto sua verdadeira face é a de um sujeito soberbo e arrogante que adora gastar.
Mas vamos deixar os comentários pessoais de lado.

Um comentário:

Opinião dos leitores