Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos,
porque a história de nossos políticos
pode causar deficiência moral irreversível.

É a vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida pública.


terça-feira, 20 de julho de 2010

Como acabar com as campanhas eleitorais antecipadas?


Para evitar o crime eleitoral das campanhas antecipadas, o TSE impõe as multas como punição, de  acordo com o previsto em lei.

Porém, está provado que tais multas não coibem ninguém.  Luís Inácio foi multado 6 vezes, embora pratique este crime eleitoral há mais ou menos dois anos, e não se rende por isso.   Pelo contrário, no fundo  (mas nem tão fundo assim) deve até agradecer pelas notícias que saem constantemente nos jornais.  "L. será multado por campanha antecida a favor de...  DILMA;   Na campanha antecipada para eleger...  DILMA;   L. torna a desrespeitar o TSE ao elogiar... DILMA".

As multas por crime eleitoral têm sido grande aliadas para divulgar a candidata, ao colocar seu nome nos jornais um quintilhão de vezes a mais.  Como as multas não assustam, não constrangem  e muito menos coibem, fica evidente que não adiantam nada, ao menos na situação atual .

Para evitar que continuem com o abuso, seria bem simples.  Ao invés de multar - o que funciona como um simples peteleco na orelha de um moleque desobediente - o TSE deveria punir quem fizesse campanha eleitoral antecipada com corte no tempo da campanha no rádio e na TV.    Candidato algum se arriscaria a enfrentar esse tipo de punição.



Vão alegar que estas são as leis.
Pois, é...

Já imaginaram se os traficantes legislassem no caso das drogas?  E os Brunos?  Que punição eles dariam aos assassinos brutais de mulheres que os atormentam, se fossem eles que apresentassem as leis para estes casos?  Vamos lá... e os sonegadores de impostos?   Já imaginaram se os cidadãos que pagam quase a metade do salário de I.R  legislassem no caso das leis tributárias?   E já imaginaram se, da mesma forma que os políticos, todos os brasileiros decidissem qual seria o seu próprio salário?


A multa, como punição aos atuais
criminosos eleitorais
 é hoje meramente simbólica.




3 comentários:

  1. A Justiça Eleitoral não demonstra coerência - demonstra receio ao aplicar a lei nestes casos.
    Dá mostras de que pretende ser "exemplar" apenas com candidatos ou políticos pouco expressivos.
    Um parlamentar estadual foi penalizado com multa de R$ 25 mil por conta de uma inserção partidária extemporânea - um dia antes do previsto. Outro, R$ 30 mil.
    Qual a razão, portanto, das multas irrisórias aplicadas aos "grandes" que desafiam a legislação eleitoral a cada dia e chegam, inclusive, a afirmar que determinados figurões não devem "ficar subordinados ao que um juiz diz".
    A Justiça não deve permitir que fanfarrões da política, amparados nas suas popularidades, desafiem os limites do ordenamento jurídico, sob pena de se gerar uma grande instabilidade jurídica e social no país.

    ResponderExcluir
  2. Chiste, diz:


    Luis XV descobriu a guilhotina e nela foi decapitado: nossos políticos são burros quando o assunto se interessa ao povão mas muito espertos pros interêsses deles

    ResponderExcluir

Opinião dos leitores