Este espaço é desaconselhável a menores de 21 anos,
porque a história de nossos políticos
pode causar deficiência moral irreversível.

É a vida de quengas disfarçadas de homens públicos; oportunistas que se aproveitam de tudo e roubam sem punição. Uma gente miúda com pose de autoridade respeitável, que engana o povo e dele debocha; vende a consciência e o respeito por si próprios em troca de dinheiro sujo. A maioria só não vende o corpo porque este, além de apodrecido, tem mais de trinta anos... não de idade, mas de vida pública.


segunda-feira, 17 de junho de 2013

PROIBIÇÃO - SIM ou NÃO


Até mesmo nos jogos, hoje, os cidadãos  (cidadão, mas não tanto, é verdade!) estão proibidos de fazer o que faziam antes.
 
São diversas restrições, com ou sem razão, que são devidas à FIFA e não ao governo PTista, embora impor determinações aos outros é uma forma de demonstrar o poder dos mais fracos.
 
O principal objetivo da proibitiva Fifa  seria evitar maiores danos aos torcedores de um modo  geral.
 
 
MANDAMENTOS AOS TORCEDORES DE FUTEBOL:
 
 
- é PROIBIDO que torcedores fiquem de pé;
 
- é PROIBIDO o uso de qualquer tipo de instrumento  'musical' ou ruidoso, para evitar batucadas - buzinas, megafones, caxiola (vuvuzela) ;
 
- é PROIBIDO o uso de bandeiras com tamanho maior que 2m a 1,5m;
 
- é PROIBIDO usar mastros para bandeiras, que não sejam maleáveis (de plástico flexível), mesmo que estejam dentro dos padrões estabelecidos;
 
- é PROIBIDO xingar ou usar qualquer tipo de palavrão;
 
- é PROIBIDO o uso de guarda-chuvas;
 
- é PROIBIDO,  por motivos puramente sanitários, entrar com alimentos, embora os preços das lanchonetes não estejam de  acordo com o bolso de todos os torcedores -  Exemplo de alguns preços: biscoito de polvilho R$ 5,00, Garrafa d'água R$ 6,00, cachorro-quente R$ 8,00, Cerveja (devidamente liberada pela FIFA, por questões comerciais ao módico preço de R%12,00.
 
 
Segundo a FIFA,  um de seus objetivos muito elogiáveis  seria  manter as batucadas bem longe dos estádios para evitar que instrumentos barulhentos sejam usados como arma.  No entanto, o presidente da Frente Nacional  de Torcedores diz que eles são favoráveis ao uso de quaisquer instrumentos, pois torcer não é crime e que esse tipo de proibição não acabaria com a violência.
 
 
Para quem não tem o hábito de frequentar os estádios de futebol, aquela barulheira horrorosa provocada por torcedores ou a forma grosseira usada por  alguns assustam são assustadoras e incomodam.  No entanto, parece que a maioria dos torcedores não se incomoda com isso, do contrário evitariam tais infortúnios ficando em suas casas.
 
Pior do que o horror que se pode evitar fugindo  dos estádios e o deixando apenas para quem os merece, é o crescimento de qualquer tipo de proibição.  A proibição pode ir num crescendo por  começar com bons e aceitáveis argumentos.  Daí em diante poderá se tornar um simples meio de inibir um  comportamento indesejável, seja ele qual for, provoque ou não maiores danos aos outros. 
 
Enquanto as proibições se tornam cada vez  maiores, mesmo sem motivos aparentes, as pessoas nem percebem o monstro que as irá devorar futuramente.   
 
 
 É PROIBIDO PROIBIR.
 
 
 

2 comentários:

  1. Ainda ficou faltando a proibição imposta pela FIFA, relativamente a cobrança de ingresso nos estádios aos maiores de 60 anos, ignorando acintosamente a gratuidade prevista em Lei vigente no país. Em outras palavras: Em nome de absurdas vantagens pecuniárias, o governo permite e determina que a FIFA atropele e passe por cima de direitos constituídos por Lei.

    ResponderExcluir
  2. Luiz, dizem os mais "entendidos" que essas proibições pertencem, como sabemos , à FIFA, que não é brasileira. Portanto, cabe a ela (a FIFA) proibir tudo o que quiser, mesmo que seja aceito no território alheio. Como os jogos à FIFA pertencem... que a proibição completa se instale, pois o que não falta é argumento.

    ResponderExcluir

Opinião dos leitores